14 de jan de 2019

Entrevista com Guilherme A. Cardoso


Hey gente, tudo bem com vocês?
Como meta desse ano, eu decidi trazer mais entrevistas e mais sobre o universo literário, entrou eu trouxe uma entrevista super legal com o escritor Guilherme A. Cardoso, que recentemente lançou seu novo livro.

Guilherme A. Cardoso nasceu em 1993 na cidade de São Vicente no litoral de São Paulo.  Seu primeiro livro foi o Experimento: #1 - Chico Santana e o Caso Mal-Resolvido lançado pela Editora Novo Século no selo Talentos da Literatura Brasileira em 2014 e agora ele lançou o Eu Não Sei de Onde Eu Vim pela Autografia Editora.


Quem é Guilherme A. Cardoso e por que ele começou a escrever?

Eu não sei de onde eu vim e eu não sei quem eu sou. Gostou da resposta? Risos irônicos. Bem, acho que sou apenas um rapaz latino americano sem dinheiro no banco (Belchior), vivendo pelos meus gigantes sonhos que são suportados por um otimismo fora do comum. Comecei a escrever porque eu queria ganhar dinheiro e viver de algo que dificilmente geraria um lucro fácil, ainda mais em um país tão pouco interessado em cultura. Ou pelo menos era isso que passava na minha cabeça. Mas na realidade mesmo eu escrevo desde os 12 ou 13 anos. Comecei escrevendo poemas e letras de música, por influência de meu melhor amigo na época, e me aperfeiçoando nesta arte. Tenho mais de uns 400 poemas/letras de música que escrevi desde aquela época. Acredito que a vontade de escrever um livro viria naturalmente. A decisão, no entanto, eu tomei com 17 anos, quando comecei a escrever meu primeiro livro que nunca fui lançado e nem terminado.

Você está trabalhando em algum projeto novo?

Na minha cabeça estou trabalhando em vários, no papel nenhum. Mas pretendo voltar a escrever a continuação de “Eu não sei de onde eu vim” ano que vem.

Quem mais te influenciou a escrever?

Minha primeira grande influência foi um professor de português da 6 série, que resolveu dar ênfase a produção textual, ao invés de gramática. Lembro que tinha escrito uma história super tosca de dois caras que pegam um fusca e cruzam o mundo inteiro. Além dele, teve o meu melhor amigo, que me incentivou a escrever poemas e letras de música, lá por volta dos meus 13. Depois disso vieram todas as minhas influências da MPB. Caetano, Chico, Cazuza, Raul Seixas, Gonzaguinha, Tim Maia, Legião Urbana e etc. De autores mesmo, posso citar Douglas Adams, Fausto Fawcett, Ernest Heminghway, Dan Brown, Jack Kerouc, Emily Bronte, Agatha Christie, e mais alguns que eu não lembro agora.

Você possui algum ritual ou mania no processo de escrita?

Na verdade não. Eu só decido que vou escrever e começo. Ah, sempre escrevo no notebook, desisti de escrever a mão no meu segundo livro (que eu não concluí e nem lancei). E cada livro que eu já escrevi ou comecei a escrever, tiveram um processo diferente, uma preparação diferente. Então, tudo depende mais da própria história que vai exigir de mim algum ritual ou procedimento específico!

De onde surgiu a ideia do enredo do livro?

Veio de um curta-metragem que eu escrevi e gravei para o curso de cinema. Na época, a única coisa que eu pensei, foi na imagem de uma moça sentada na beirada de um píer, olhando para o mar. O olhar para o mar permaneceu, o píer saiu. O resto veio mediante minhas inspirações. Acredito que o anime “The Melancholy of Haruhi Suzumiya“ tenha me inspirado bastante. E também o filme “O Fabuloso Destino de Amelie Poulain”

Alguns autores mudam certas partes do livro quando terminam de escrever, em Eu Não Sei de Onde Eu Vim você mudou alguma coisa quando tinha acabado de escrever?

Algumas palavras aqui e ali, alguns detalhes aqui e ali. Apenas puro exercício de perfeccionismo. A maior mudança que eu fiz depois de terminar foi a retirada de um parágrafo inteiro de um capítulo. Porque era realmente um parágrafo inútil.


O livro aborda esse lado ‘não estamos sozinhos no universo’, e você acredita que podemos ter vizinhos nos planetas ao lado?

Nos planetas ao lado talvez não, mas nos planetas fora do nosso sistema solar, com certeza.

Teve alguma parte do livro que você considerou difícil de escrever?

Não. Para mim as cenas mais difíceis de se escrever são cenas de luta. Coisa que não ocorreu neste livro.


Eu achei a Aline uma personagem de muito fácil verossimilhança. Ela tem seus 20 e poucos e se sente deslocada no meio, você já se sentiu assim? Como fez para se sentir bem?

Acho que todos até o início da adolescência devam se sentir deslocados. Sim, já me senti, porém, o que me ajudou foi o fato de que desde os 13 eu sempre soube que eu queria viver de arte, e perseguir esse sonho foi o que sempre me manteve protegido dos maiores malefícios da solidão ou confusão. Então, acredito que se você souber onde quer chegar, ou pelo menos aquilo que você gosta de verdade, fica mais fácil seguir em frente.

Qual foi a maior diferença de escrita que você sentiu em escrever Experimento: #1 - Chico Santana e o Caso Mal-Resolvido  para o Eu Não Sei de Onde Eu Vim?

Foi muito mais fácil escrever Eu Não Sei De Onde Eu Vim, pois eu pude ser 100% eu mesmo. Minha escrita agora é muito mais madura e descontraída. Escrevo e me sinto totalmente seguro do que escrevi. E claro, também pelo fato dos temas serem completamente diferentes, e diferente de Chico Santana, Eu Não Sei, não teve cenas de ação. xD


Qual conselho daria para alguém que quer escrever um livro e ainda não sabe como começar?

Parar com a ansiedade e o medo. Parar de achar o que os outros podem pensar, ou que você não é bom o bastante. Pegar a vergonha e colocar num potinho e jogar no mar. Apenas escreva. Escreva, releia, se autocritique e reescreva. Porém, não se esqueça que a perfeição não existe. Apenas estabeleça uma meta possível de alcançar. Ah, e todo dia escreva pelo menos uma palavra. E não se esqueça... Antes de escrever, você tem que ler. Então, leia bastante, e de preferência, leituras bem variadas. Sem preconceito.

Você pode comprar o livro Aqui e Por aqui
E você já conhecia o livro ou o autor? o quê achou da entrevista?
Beijos

Confira aqui o Curta


18 comentários:

  1. Não conhecia o autor, mas achei a entrevista dele super bacana! Eu Não sei de Onde Eu Vim parece um livro bem legal, quero ler! ^^

    Beijo!
    Cores do Vício

    ResponderExcluir
  2. Gostei muito da entrevista, fiquei curiosa para ler o livro, mais tarde vou ver o curta
    Charme-se

    ResponderExcluir
  3. Uma entrevista bem feita é outra coisa, né? Ainda não conhecia ele, mas amei conhecer o livro e um pouco mais do trabalho dele!

    www.kailagarcia.com

    ResponderExcluir
  4. ah adorei conhecer esse livro, acho que é facil de mt gente se identificar com essas questoes. mais legal ainda essa entrevista com o autor e poder conhecer seu trabalho ainda melhor

    www.tofucolorido.com.br
    www.facebook.com/blogtofucolorido

    ResponderExcluir
  5. Adorei o livro do autor, super leria! Acho incrível você trazer essas entrevistas, assim a gente pode ficar mais perto deles e consumir literatura brasileira!
    Beijos,

    https://lesjoursdemarcela.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  6. Não conhecia o autor e nem o livro, mas super me interessei. Eu adorei a entrevista :)

    https://www.biigthais.com

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  7. Que legal a entrevista! Não o conhecia e o livro parece ser interessante.

    naoseavexe.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Que bacana a entrevista! Acho bem legal isso :)
    E tem até um curta, vou veeer!

    https://www.heyimwiththeband.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Muito legal essa abordagem nova que você trouxe ao blog. Eu não conhecia nem o autor nem o livro, mas posso dizer que tenho gostado bastante de como anda o mercado literário nacional. Que ele cresça cada vez mais. Tenha um ótimo dia, beijos!

    Blog Paisagem de Janela
    www.paisagemdejanela.com

    ResponderExcluir
  10. Que entrevista maravilhosa.
    Não conhecia o autor! Ótimo poste.
    Beijos.
    http://vinteedoisdemaio.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Além de ler o livro fiquei com uma super vontade de vê-lo em um longa, viu!!!

    ResponderExcluir
  12. Muito bom poder conhecer mais sobre o autor e o processo de desenvolvimento do seu novo livro. Eu Não Sei de Onde eu Vim parece trazer boas reflexões ao leitor.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  13. Que demais essa entrevista, não conhecia o livro e nem o autor e esse post foi perfeito para divulgar o trabalho da Guilherme Cardoso
    Sucesso! ❤
    www.blogsereiando.com

    ResponderExcluir
  14. Olá, ainda não conhecia o autor nem o livro, achei muito legal a entrevista, conhecer o autor e seu trabalho assim mais de perto é sempre bom ^^

    bjs

    Ariadne ♥
    De volta ao retrô | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  15. Que bacana, eu não conhecia o autor mas adorei a proposta da história. Trabalhos assim realmente merecem ser divulgados, parabéns !
    Beijão

    ResponderExcluir
  16. Adorei a entrevista!
    Esse livro parece ser bom, viu? Já quero ler!
    Niceness Beauty

    ResponderExcluir
  17. Entrevista maravilhosa. Gostei de conhecer mais desse escritor e de sua escrita.
    Bom final de semana!

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  18. Oii
    Legal a entrevista
    Gostei de saber que era um curta-metragem.
    Interessante

    Karina Pinheiro

    ResponderExcluir

DEARLY TAY
LAYOUT POR LUSA AGÊNCIA DIGITAL