Sobre os espaços vazios

Eu odeio o vazio. Eu percebi isso recentemente quando estava fazendo uma página do meu bullet journal/diário e acabei preenchendo cada pedacinho da folha até nenhuma parte ficar em branco. Páginas em branco são todas aquelas coisas que não conseguimos transformar em algo maior.

Eu fiquei por páginas e páginas preenchendo com palavras, desenhos e tintas simplesmente para não ficar em branco, até que parei e vi que o espaço em branco não era a ausência de algo, era simplesmente o conceito de algo maior.

Eu tenho me sentindo vazia. Essa época do ano faz isso comigo, meu corpo tem essa memória e quando está chegando a data é como se meu corpo inteiro se abrisse e eu me derramasse pelo chão. Eu não sei se vocês já viveram algum tipo de experiência emocional muito forte, mas quando algo que não está nos seus planos acontece, é como se instalassem um alarme em você e quando chega bem perto da data similar ao ocorrido, ele faz um barulho enorme que não dá para ignorar.

Eu tentei preencher meus vazios de todas as formas: com pessoas, com ações, com arte. Mas sempre tinha aquele espaço que ecoava qualquer coisa que eu dissesse.

Com o passar do tempo, vamos aprendendo a lidar com certos vazios e achamos coisas que as preenche ou só acumulando para fingir que ali não está expondo um vazio. Mas não devemos fazer isso. Um espaço em branco nem sempre é algo ruim, e a gente não precisa perseguir coisas que achamos que é a certa só para se igualar a x ou y. Espaço vazio também é arte, é cura, é amor. Espaço vazio é a esperança de um futuro ou a certeza de que algo do passado foi superado e que não precisa ser substituído.

Eu estou aos poucos reconhecendo meus vazios e aprendendo a admirar cada canto sem ficar com a neura de que ele precisa passar por uma reforma para ficar como eu quero.

Os espaços vazios não são só sobre todas as supostas coisas boas que você está 'perdendo', mas é sobre todas as coisas ruins que você pode estar ficando livre.

17 comentários

  1. Olá, Tay.
    Muita boa sua reflexão. Eu não vejo os espaços em brancos como vazio e sim como um lugar para ser preenchido. Para vir coisas boas tem que ter espaço hehe.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  2. Que bela mensagem do texto! Eu concordo com você e me identifico também. Antes eu achava que sempre deveria preencher um certo vazio sentido de vez em quando em mim, não aceitava uma inércia, um vazio, um escuro aqui dentro e também tentei preencher com várias coisas. Mas é como você escreve, às vezes o espaço vazio é necessário, e nem sempre é ruim. Às vezes precisamos desses espaços vazios pra nos recuperar de algo, enfim.

    https://monautrecote.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Nunca tinha pensado sobre os espaços vazios dessa forma, muito bonito o seu texto Tay! <3

    ResponderExcluir
  4. Menina, que profundo! Eu adorei o texto.
    Também tenho tic com página vazia de bullet journal, tento preencher ao máximo. Apenas atrás da capa que sempre deixo em branco porque é de lei. Mas odeio quando pulo sem perceber uma página de caderno, por exemplo.
    E também venho tentando preencher os meus vazios de alguma forma. Vou ver se mudo um pouquinho meu pensamento sobre vazio como algo ruim e ver como oportunidade, coisas que livrei. Vou evoluir mais assim :)
    Beijos,
    Mundo Perdido da Carol
    Instagram: @carolinsweet
    Fan Page

    ResponderExcluir
  5. Que lindo esse texto. É ótimo quando temos esse entendimento.

    Bom fim de semana!

    OBS.: O JOVEM JORNALISTA está em quarentena de 22 de julho à 31 de agosto, mas comentarei nos blogs amigos nesse período.

    Jovem Jornalista
    Instagram

    Até mais, Emerson Garcia

    ResponderExcluir
  6. Eu adorei sua reflexão , você escreve bem ,e gostei bastante sobre como você diz sobre os espaços vazios. Arrasou. Bjs bjs https://beperes.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Espaços vazios são necessários para ocuparmos com o tempo e muitas vezes precisamos esvaziar mais espaços, eu te entendo bem como se sente em relação a espaços vazios, dá um medinho mas quando nos acostumamos gostamos disso e muito mais. É um aprendizado, uma evolução.
    Beijocas.



    https://www.parafraseandocomvanessa.com.br/

    ResponderExcluir
  8. Encontraste arte en un espacio vacío, eres muy buena redactora, esplendido texto. Saludos desde El Blog de Boris Estebitan.

    ResponderExcluir
  9. Sobre os espaços físicos vazios, eu também sempre preencho as páginas em branco do meu Bullet Journal com alguma coisa, haha. Agora, em relação ao emocional vazio, eu concordo com você, principalmente com o último parágrafo do texto. As vezes é necessário que haja espaços vazios e nós possamos sentir a paz disso.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  10. Que texto mais lindo Tay. Penso que o espaço vazio está lá para ser preenchido.
    Big Beijos,
    Lulu on the sky

    ResponderExcluir
  11. Acho que todo mundo quer preencher os espaços vazios, mas as vezes é importante eles existirem.

    https://www.biigthais.com/

    Beijoos ;*

    ResponderExcluir
  12. Oi Tay,
    Belo texto! Eu realmente acredito que amadurecer é valorizar os espaços em branco e preenchê-los com paz. Infelizmente, cada um tem seu tempo para perceber isso.
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  13. O primeiro parágrafo me definiu tão bem, não tenho bullet journal, mas tenho agenda, e não gosto de deixar espaços em branco. Marco os compromissos e depois vou enfeitando em volta
    Beijos ♡ Blog | Instagram | Youtube

    ResponderExcluir
  14. Eu sei bem como é se sentir assim mas sempre tento transformar em palavras e a escrita, muita das vezes, me salva e acaba preenchendo quando aparece essa sensação. Eu não tenho um bullet journal mas acho lindo quem tem; é sempre tão criativo!

    https://itslizzie.space/

    ResponderExcluir
  15. Oi
    eu gostei do texto, eu não tenho um bullet, mas na vida inclusive alguns espaços vazios são algo bons, isso de se sentir vazia também ando assim, ainda mais quando chega o mês do meu aniversário que é agosto, fico meio emotiva, pensando nas coisas.

    http://momentocrivelli.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Hello friend!
Eu sou a Tay Ribeiro, tenho 24 anos e moro no interior do Goiás. Viciada em vídeos de gatos fofos e em fazer listas. Aqui você encontra todas as coisas que eu mais gosto no mundo. more

Instagram

Dearly Tay / Theme by BD.