Livros Lidos em Maio

Found on

Hey gente, tudo bem com vocês?


Maio foi um mês esquisito e em que eu passei a maior parte do tempo me sentindo esgotada. Eu odeio reclamar das coisas, mas sinto que foi o meu pior mês e que eu não consegui me conectar com nada direito e isso também se resumiu nas leituras.


Estou com uma ressaca literária horrível e sinto que nunca vou encontrar um livro que eu ame para ler rs.


Eu li bem pouco e em um tempo bem espaçado, mas agora meu kindle atualizou para mostrar a capa do livro na tela de descanso e estou esperançosa que isso me motive. Vamos ver quais foram as minhas leituras.

 

 


A palavra que resta - Stênio Gardel

Aos 71 anos, Raimundo decide aprender a ler e a escrever. Nascido e criado na roça, não foi à escola, pois cedo precisou ajudar o pai na lida diária. Mas há muito deixou a família e a vida no sertão para trás. Desse tempo, Raimundo guarda apenas a carta que recebeu de Cícero, há mais de cinquenta anos, quando o amor escondido entre os dois foi descoberto. Cícero partiu sem deixar pistas, a não ser aquela carta que Raimundo não sabe ler – ao menos até agora.

Com uma narrativa sensível e magnética, o escritor cearense Stênio Gardel nos leva pelo passado de Raimundo, permeado de conflitos familiares e da dor do ocultamento de sua sexualidade, mas também das novas relações que estabeleceu depois de fugir de casa e cair na estrada, ressignificando seu destino mais de uma vez.

 

A palavra que resta conta a história de Raimundo Gaudêncio que aos 71 anos decide aprender a ler e ele tem uma grande missão: ler uma carta deixada para ele há 50 anos trás. Gaudêncio mora no sertão e vive um romance com seu amigo Cícero, mas pro viver numa sociedade preconceituosa e que não tem como achar apoio nem na própria família, o casal acaba se separando e Cícero parte deixando uma carta para seu amor, mas tem um grane problema: Gaudêncio não sabe ler e também não vai deixar que ninguém leia a carta que foi destinada a ele.

 

Foi o meu primeiro contato com o autor Stênio Gardel e já posso dizer que ficarei de olho nos futuros lançamentos dele. A palavra que resta trás uma história com muitas problemáticas, mas que tem uma escrita viciante que te faz querer ler tudo na mesma hora, mesmo tendo que pausar em alguns momentos pra pensar no que foi lido.

 

A história transita entre o passado e o presente e vamos conhecendo a saga do Stênio Gardel até o momento que ele lê a carta. Eu gostei muito desse livro e em como podemos analisar os personagens e suas vivencias como construção de pessoa.

 

 

Onde está Daisy Mason? - Cara Hunter


Ontem à noite, Daisy Mason, uma garotinha de oito anos de idade, desapareceu de uma festa de família. Ninguém naquela discreta e silenciosa rua residencial viu nada ― ao menos é o que estão dizendo. Mas como é possível uma criança desaparecer sem deixar rastros? O detetive Adam Fawley precisa manter a mente aberta e desconfiar de cada ação suspeita. No entanto, ele sabe que, em cada dez casos como este, nove revelam que o culpado é alguém que a vítima conhece. Isso significa que alguém está mentindo… e que, para Daisy, o tempo está se esgotando.

 

Não sei por onde começar a falar sobre Onde está Daisy Mason? . Daisy Mason é uma garota de 8 anos que sumiu durante um festa na sua casa e ninguém viu absolutamente nada, até que o detetive Adam Fawley começa a investigar e os segredos vão sendo descobertos.


Esse livro começa maravilhosamente bem, em cada página você solta um eita e fica louca querendo saber o que vem a seguir, esse livro tem tanto plot twist que chega um momento que você nem quer mais saber onde a Daisy está, só quer descobrir mais sobre o que está acontecendo e quem é o culpado. E o livro é bem o retrato de casos que ficam em evidência na mídia, em que toda audiência tem uma opinião formada e só quer o circo pegar fogo e não encontrar uma justiça de verdade.


A Cara Hunter fez um ótimo trabalho na escrita, na execução da obra, no jeito que deixava  gente querendo mais, mas ela simplesmente destruiu tudo no final, sério, me senti uma palhaça e fiquei extremamente brava com o final por não ver um sentindo nele, entretanto, super recomendo a leitura.

 

 

O Menino Que Se Alimentava de Pesadelos - Jo Yong


Em O menino que se alimentava de pesadelos, um garotinho é assombrado por pesadelos terríveis. Para tentar dar fim a esse tormento, vai até as profundezas da floresta e faz um pacto com uma bruxa. Ela apagará todas as lembranças ruins de sua mente, contanto que ele prometa que se tornará um adulto feliz. O acordo parece simples, mas o preço a ser pago caso ele não cumpra a promessa pode ser alto demais.

 

Esse livro é do dorama It’s Okay To Not Be Okay, e mesmo não tendo assistindo, decidi ler o livro. É super curtinho e mais voltado para o livro infantil, mas tem uma mensagem bem importante. O livro é cheio de ilustrações meio sombrias, mas que ficaram incríveis.

 


A Fênix - Sidney Sheldon/Tilly Bagshawe


Ella Praeger nunca se sentiu confortável no mundo. Sem saber lidar com outras pessoas, limita-se a uma vida pacata em seu emprego de analista de dados em São Francisco. No entanto, quando sua avó Mimi morre, ela encarar um passado há muito deixado para trás. Quando tinha 5 anos, Ella perdeu os pais em um acidente de carro, por isso foi criada no rancho da avó, onde foi forçada a desenvolver habilidades de sobrevivência como caçar, pescar e cortar lenha. Mas agora, ao desocupar a casa de Mimi para vendê-la, Ella descobre que pode ter vivido uma mentira.

Um homem estranho comparece ao velório, o que deixa Ella intrigada. Então, dias depois, ele reaparece em São Francisco para convocá-la a se juntar às fileiras do Grupo, uma força que trabalha nas sombras para cuidar daquilo que serviços governamentais de segurança e inteligência não conseguem resolver.

Doze anos antes, o Grupo deu fim a uma das chefes do crime mais poderosas que já existiu. No entanto, quando o corpo de uma criança aparece em uma praia na Grécia com um símbolo misterioso marcado a ferro no calcanhar, o aviso é claro: Athena Petridis está de volta e quer recuperar seu antigo império.

Renascida como agente do Grupo e perseguindo uma vilã ressurgida das cinzas, Ella agora tem um propósito de vida ― e um legado perigoso.

 

Eu tenho muito preconceito com os livros da Tilly Bagshawe usuando o nome do Sidney Sheldon, mas eu tinha decidido fingir que era minha primeira experiência e fui ler A Fênix. Nesse livro conhecemos a Ella Praeger, que tem sérios problemas com suas habilidades sociais e está sofrendo com dores de cabeça. Após a morte dos pais, ela foi morar no rancho da avó e sempre viveu reclusa até decidir ir para a faculdade e deixar a avó, mas precisou voltar para casa anos depois quando sua avó morreu. No funeral, ela observa um homem desconhecido que depois se revela como integrante de uma grupo chamado Grupo que trabalham para 'punir' criminosos que a justiça não pune, ele também revela que seus pais faziam parte desse grupo e que ela é muito necessária nas atividades. Então, ela decide entrar para poder descobrir mais sobre seus pais e sobre suas dores de cabeça.

 

Esse livro tinha tudo para ser incrível. Tem todos os elementos de uma boa obra do Sidney Sheldon, tem um história interessante, mas uma execução lamentável. A Tilly Bagshawe colocou muitos personagens que não contribuíram em nada para a história e perdeu tanto tempo em algumas partes que esqueceu de desenvolver o que estava vendendo no livro.  O livro não é todo ruim, ele prende o leitor e não fica cansativo de ler, mas você consegue ver as pontas soltas e eu não sei se foi intencional para ter uma continuação do livro ou se foi uma falha mesmo.

 

Eu achei que dessa vez a Tilly Bagshawe fosse me conquistar, mas não foi.

 

Pequena coreografia do adeus - Aline Bei


Julia é filha de pais separados: sua mãe não suporta a ideia de ter sido abandonada pelo marido, enquanto seu pai não suporta a ideia de ter sido casado. Sufocada por uma atmosfera de brigas constantes e falta de afeto, a jovem escritora tenta reconhecer sua individualidade e dar sentido à sua história, tentando se desvencilhar dos traumas familiares.

Entre lembranças da infância e da adolescência, e sonhos para o futuro, Julia encontra personagens essenciais para enfrentar a solidão ao mesmo tempo que ensaia sua própria coreografia, numa sequência de movimentos de aproximação e afastamento de seus pais que lhe traz marcas indeléveis.

 

 

Eu tinha grandes expectativas com o Pequena coreografia do adeus por causa do sentimento que tenho pelo livro anterior da Aline Bei, mas eu não sei como me sinto em relação a esse livro.

 

Nele, conhecemos Julia que sofre a violência da mãe e a omissão do pai, e que vive tentando preencher seu próprio vazio. O livro vai do passado ao presente e vamos seguindo a história dessa família pela visão da Julia. O livro tem uma linguagem poética e você consegue ver a essência da Aline Bei nele, mas comigo não rolou a leitura e eu terminei só por terminar mesmo. Acredito que não peguei esse livro na hora certa, vou tentar ler daqui um tempo e ver como me sinto em relação a ele.

 

Bom, essas foram minhas leituras, se você tiver a dica de algum livro levinho e que ajude quem não está conseguindo ler nada, por favor me indique.


E você, o que leu e mais gostou em maio?

Beijos

21 comentários

  1. Animo te mando un beso . Gracias por las recomendaciones

    ResponderExcluir
  2. Oie,então, não tenho lido nada, o último que eu li foi After, o livro que saiu do watpad é até virou filme, mas o filme não ficou tão bom, na verdade estou lendo o terceiro da série, o livro eu amei, mas, o filme eles deixaram desejar, isso por que os personagens não são parecidos com aqueles que eu criei na minha mente sabe haha, eu sou meio doida, eu leio imaginando como é o personagem, e, não gostei nada do que eu vi, mas, preciso voltar a lê tô em completa abstinência de leitura meu Deus haha. Então, gostei da sua leitura e deu até vontade de lê todos, já li um do Sheldon eu não gostei, mas vou tentar de novo, quem sabe não é. Beijos flor!♡

    ResponderExcluir
  3. Wow, such a literary experience for you. Some outstanding reviews. Thanks so much!

    ResponderExcluir
  4. Great reads for May. Some down right disturbing. And I know how you feel about some authors and how they can take you on this journey just to leave you hanging at the end.

    ResponderExcluir
  5. Oh, you must be inspired from all this list of books! I so enjoyed the reviews!

    ResponderExcluir
  6. Ei, Tay, tudo bem? Eu te entendo, tem dias, semanas ou meses que não são realmente complicados e nada parece fazer sentido, mas vai melhorar! Você fez algumas boas leituras, apesar da sua ressaca literária, eu fiquei curiosa com o livro A Palavra que Resta. Beijosss


    Books House

    ResponderExcluir
  7. Eu me senti da mesma forma que você em Maio, não sei o que aconteceu, me senti exausta e sem motivação para nada. Espero que nosso Junho seja diferente. Eu li três livros em Maio e ainda achei muito hahahahaha você é uma leitora fenomenal! Me interessei muito pela "a palavra que resta", gosto de livros que voltam no passado, mexe muito comigo. Já coloquei as 5 indicações na minha lista de livros para ler que anda bem vazia de sugestões. Obrigada pelo post, uma delícia de ler!

    ResponderExcluir
  8. Olá, Tay.
    Maio foi bem ruim de leituras para mim também. Só li metade dos livros físicos que tinha escolhido para ler no mês, acabei lendo outros no Kindle. Eu nem me aventuro mais nos livros da Tilly. É inevitável ficar comparando e ela não chega nem aos pés dele.

    Prefácio

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Em Maio eu tive um esgotamento para assistir coisas, não consegui ver um filme durante e vi pouca série. Já tinha visto mais de uma pessoa comentar que o livro A Palavra que Resta tem muita coisa problemática, mas ainda bem que a escrita é viciante para compensar!

    Beijão
    https://deiumjeito.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  10. Oh very interesting books darling
    xx

    ResponderExcluir
  11. o peso do passaro morto da Aline Bei é sensacional e tbm to bem curiosa com esse livro novo dela

    www.tofucolorido.com.br
    https://www.instagram.com/liviaalli/

    ResponderExcluir
  12. Oi Tay

    Vc tá lendo bastante hein! Eu não to nesse ritmo, por enquanto.

    Eu to muito curiosa sobre a Pequena Coreografia do Adeus, pois eu li O peso do pássaro morte e tocou muito em mim. Aline Bei tem um escrita incrível.

    Boas leituras,
    Karen Gabrieli | Apesar do Caos

    ResponderExcluir
  13. These all sounds so interesting, the one about the little boy and his nightmares reminds me of my nephew he use to get night terrors. He out grew them luckily. I am reading a book about the life of a psychic.

    Allie of
    www.allienyc.com

    ResponderExcluir
  14. uau, deu um show em maio hein
    esse foi o mês que menos li, uma decepção haha

    beijo
    A mina de fé

    ResponderExcluir
  15. Oi Tay,
    Confesso que Maio também não foi um mês muito bom pra mim, mas ao invés de abandonar as minhas leituras, acabei me apegando ainda mais a elas, como um refúgio, o que fez com que Maio fosse o mês em que mais li até agora.
    Onde Está Daisy Mason foi parar na minha lista de leituras e quase também coloquei A Fênix, mas não dá pra relevar as ressalvas que você fez sobre o livro, odeio pontas soltas.
    Te indico contos pequenos para sair da ressaca literária. Tomara que Junho lhe traga boas leituras.
    Beijo, Blog Apenas Leite e Pimenta ♥

    ResponderExcluir
  16. Oie Tay!

    Da sua listinha eu já tinha visto essa capa do Sidney Sheldon, mas não li nada do autor ainda.
    a palavra que resta me chamou a atenção, confesso e ainda mais pelo seu olhar super positivo sobre a obra

    Beijos!
    Pâm
    Blog Interrupted Dreamer

    ResponderExcluir
  17. Oi Tay,
    Em maio, consegui ler mais do que nos outros meses, pois estava de férias do trabalho, os destaques do mês (para mim) foram 'The Dare' e 'Você me ganhou no Olá'!
    beijos
    http://estante-da-ale.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  18. Maio tbm foi tenso por aqui também. Eu só terminei daisy mason e fiquei com o mesmo sentimento que vc. O capitulo final foi totalmente desnecesário. Esse pequeno Adeus da aline tá na minha lista, pq eu acompanhei a live da be rodrigues na twitch e fiquei bem curiosa. Normalmente o estilo dela é bem parecido com o meu.

    Beeijos
    Eu Milhazes

    ResponderExcluir
  19. Oi Tay, tudo bem?
    Solicitei A Palavra Que Resta à editora, mas demorei demais pra enviar pro Kindle e saiu do ar. :(
    Entendo perfeitamente você sobre o livro da Aline Bei. Gostei, achei bonito, mas não supriu as expectativas causadas pelo Peso do Pássaro Morto.
    Beijos,

    Priih
    Infinitas Vidas

    ResponderExcluir
  20. Very interesting book! Thanks for sharing.

    Infinitely Posh

    ResponderExcluir

Hello friend!
Eu sou a Tay Ribeiro, tenho 24 anos e moro no interior do Goiás. Viciada em vídeos de gatos fofos e em fazer listas. Aqui você encontra todas as coisas que eu mais gosto no mundo. more

Instagram

Dearly Tay / Theme by BD.